Home » Notícias » Porque é tão caro ter TV a Cabo no Brasil?

Porque é tão caro ter TV a Cabo no Brasil?

Houve um tempo em que a TV a cabo no Brasil era praticamente uma febre, todos queriam este serviço para ter acesso a uma infinidade de canais e opções de entretenimento, mas hoje, podemos considerar que este serviço está obsoleto.

Obsoleto não só porque hoje a internet nos oferece uma grande variedade de conteúdos e plataformas de streaming, mas também porque o custo, elevado na maioria dos casos, não oferece mais custo-benefício.

Veja abaixo alguns dos motivos do porque é tão caro ter TV a cabo no Brasil, e algumas soluções mais em conta que hoje encontramos no mercado.

Porque a TV a cabo é tão caro?

Nos anos 90, quando a TV a cabo era novidade e contava com um conteúdo bastante exclusivo, este setor mirou inicialmente nos mais ricos, sem concorrência, e podendo cobrar um preço alto pelo seu serviço.

Com o passar dos anos e o desenvolvimento tecnológico, se tornou possível oferecer serviços mais baratos, fazendo combos com serviços de telefonia e banda larga, mirando as classes B e C.

Mas, hoje os conteúdos oferecidos pela TV a cabo estão longe de serem exclusivos, e ainda contam com o preço salgado, quando comparado a outras opções semelhantes que o mercado oferece, como os  streaming.

Para se ter uma ideia, um pacote básico da Net-Claro, custa R$ 89,90, enquanto que a assinatura mais básica da Netflix sai por R$ 19,90.

Porém, o alto preço dos serviços de TV por assinatura no Brasil se deva a um problema que afeta a todos nós, os juros. Grandes empresas prestadores deste tipo de serviço necessitam pagar altos valores ao governo apenas em juros, o que acaba sendo repassado ao consumidor.

Fato que não acontece com os serviços de streaming, ou ocorre de forma reduzida, por isso a possibilidade de oferecer preços mais em conta.

Não sabe quanto está gastando? Confira aqui como emitir a net 2 via http://www.uniblog.com.br/net-2-via/

A TV por assinatura no Brasil está entre as mais caras do mundo

Sim, a TV  a cabo no Brasil possui um dos valores mais altos do mundo, para se ter uma ideia, um brasileiro chega a gastar 12% do salário para ter acesso a pacote básico com 150 canais.

Quando comparamos esses valores com outros países, a diferença é absurda, na França, por exemplo, um pacote com 230 canais e internet custa € 30, enquanto o salário médio do país é de € 2.912.

Esses números fazem com que os franceses gastam apenas 1% da sua renda mensal para ter acesso a TV por assinatura e internet.

Confira abaixo um percentual da renda média do trabalhador e quanto um pacote de TV e internet consome mensalmente da sua renda mensal em outros países:

  • Chile: 7,10%
  • Argentina: 2,9%
  • Reino Unido: 2,15%
  • Panamá: 1,98%
  • Espanha: 1,38%
  • África do Sul: 4,13%
  • Canadá: 2,9%
  • Portugal: 4,19%
  • Estados Unidos: 3,43%

Um estudo da ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura) feito em 2013 mostrou que o serviço de TV por assinatura no Brasil era o 16º mais caro do mundo, em comparação com 47 países.

O preço alto não é o único problema

Se o preço alto fosse o único problema da TV a cabo no Brasil, talvez o número de pessoas que a abandonam a cada ano não seria tão grande, uma vez que podemos considerar que próprias  operadoras de televisão paga, são as maiores responsáveis pela crise em seu setor.

Os principais problemas dos clientes com as operadoras de televisão incluem:

  • Cobrança indevida: valores não reconhecidos em fatura.
  • Alteração unilateral de contrato: diminuição ou retirada de canais sem prévia informação.
  • Vício de qualidade: sinal falho ou ruim.
  • Não cumprimento de oferta

Também, outro campeão de reclamação para o setor, é o atendimento das empresas, já que  as centrais de atendimento dessas empresas não resolvem os problemas de seus com eficácia, o que acaba gerando revolta e desistência do produto.

Não agradando aos consumidores, com um serviço que fica mais obsoleto a cada ano, mais carro e com um atendimento que não funciona, as operadoras precisam rever seus padrões de negócio urgentemente para não virarem história e serem engolidas pelos serviços de streaming.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *